08 janeiro, 2006

Campanário dá exemplo.


Conforme notícias vindas a público, a A.D. do Campanário, através de uma forma inovadora, conseguiu angariar de fundos tendente à compra de um mini-autocarro de 27 lugares para transporte dos alunos da freguesia, na qual se realça a participação maioritária de alguns pais. Efectivamente, foi um gesto digno de elogio, tanto ao clube como aos pais que voluntariamente se dignaram contribuir naquela aquisição, tanto mais que a responsabilidade de tal deveria ser das entidades governativas.
Este exemplo sugere-me fazer a seguinte pergunta:
Porque razão outros clubes madeirenses não ousam tomar a decisão de comprar autocarros, construir infra-estruturas desportivas ou dar melhores condições aos jovens desportistas da sua terra, em detrimento de pagarem 300 ou 400 contos mensais a supostos craques da bola, vindos não sei de onde, a troco de nada?
Afinal não é só no Campanário que os pais contribuem com verbas para os clubes. Então os outros pais, filhos e avós madeirenses, que ao longo dos anos contribuem com os seus impostos para o erário público, ainda que não sejam contribuições voluntárias, mas sim obrigatórias, não são exemplo de generosidade da comunidade?
A diferença em relação ao Campanário não estará pois nos pais, mas sim no modo de administração do clube que, em relação a outros clubes da região, não anda obcecado por disputar provas a nível nacional, sem olhar a meios. Pensaram em primeiro lugar na sua terra.
Oxalá assim continuem e não tenho dúvidas que serão um clube acima das divisões todas.
Parabéns A.D. Campanário.

Sem comentários: