27 janeiro, 2006

A propósito do mamarracho!

O "aborto" de São Martinho
Sempre que lá passo, fico com uma sensação que ainda não consegui decifrar. Fico deveras comovida com a grandiosa criatividade, com a arquitectura, com as formas! Sempre fui da opinião que a Câmara Municipal do Funchal deveria ser "homenageada" por tamanha obra.
No meu longo top, aquele é sem dúvida o que ocupa o primeiro lugar com direito a "oscar" e tudo. Agora, fiquei um pouco desiludida com a reportagem do Diário de Notícias...
Meus senhores! Então aquele monstro não é uma prisão?! Não acredito...
É que também eu estava convencida que aquele "monstro" era a futura cadeia da Madeira.
Estava convencida, e até disposta a esquecer o "aborto" de cimento, se o mesmo se destinasse a ser a prisão de todos os que durante estes anos destruíram parte das nossas belezas naturais.
Estava convencida que seria a prisão de todos os que destruíram e desprezam a nossa Ilha, em prol da ganância pessoal.
Era o meu sonho! Passar por lá e vê-los a todos, com as cabeças enfiadas nas colunas minúsculas, a olharem o Sol e o Mar, em vez de ser pelas grandes janelas das suas belas mansões como estão habituados.
Bom, mas visto que já não é, paciência, aguardaremos por alguma outra solução no futuro. (...)
Agora meus senhores, desde que haja vontade, existe sempre solução. O facto do edifício estar no ar, não é desculpa para não solucionarem o problema.
Logo, deixo aqui um desafio para benefício de todos e da vossa imagem. Quem sabe, com direito a vinho, espetada, folclore e tudo, poderiam fazer a implosão do século.
Imaginem! Brochuras para o turismo a relatar os detalhes da implosão, hotéis cheios só para assistirem a tamanho espectáculo, navios de cruzeiros... Pensem nisso.
Aliás, se começarem agora, garanto que têm programa turístico para uns bons anos em toda a Ilha. "
Assim escreve a Srª Natalia Vieira nas Cartas do Leitor do DN de hoje.

Sem comentários: