25 junho, 2007

Pastores lembrados.

Apesar da retirada do gado das serras, em Santana a festa das tosquias foi ainda lembrada pelos pastores daquelas serras. Ao contrário de antigamente, tiveram que levar uma dúzia de ovinos da "cidade" para serra a fim de serem tosquiados. De resto, a tradição manteve-se: guardaram-nos no curral junto ao homem- em-pé e no dia seguinte seriam tosquiados. Como complemento, no Sábado, dia 23/6, pelas 20h30m, houve uma missa campal (missa dos pastores), solenizada pelo pároco Rui Pontes, seguido de uma ceia típica de de São João na casa dos Pastores.
A finalizar, no Domingo, não faltou o almoço típico das tosquias e os xarambistas, que no sopé do homem-em-pé entoaram recados aos promotores da ideia de retirarem o gado das serras há uns anos a esta parte.
Segue-se o registo Berdadeiro, onde não falta também, o registo do sopro do vento no áudio, tão natural quanto o calor que se fazia sentir na tarde de Domingo na Achada do Teixeira.


13 comentários:

Estave disse...

So tenho uma palavra a escrever: obrigado

Anónimo disse...

Pastores
Os pastores agradecem a divulgação, o interesse e atenção do Berdades na cobertura deste convívio. Apesar das contrariedades fazemos questão de comemorar as tosquias e o dia do pastor, em memória de todos os nossos antepassados. Pois, faziam não unicamente pelo convívio, mas por uma forma de subsistência. Contudo foram sempre o exemplo da verdadeira amizade,do trabalho em equipa e no profundo respeito pela forma de ser de cada um... a nós apenas interessa reviver através dos mais antigos, as lides na serra com o gado, a gastronomia, a forma de se entreterem através do cantar do Charamba ,quando pernoitavam nas suas "casas" de abrigo. Esperamos manter esta tradição. É uma nostalgia sentirmos que estamos a entoar os mesmos sons e palavras nas cantigas, partilhar os mesmos espaços para dormir...é como se estivéssemos a recuar no tempo!
Abraço!

Anónimo disse...

Ainda bem que o berdades fez isto! Pois eu pensava que quando cantavam o charamba, era a gozar com os charambas que moravam de fronte do actual mercado abastecedor.

Anónimo disse...

Pena é os pastores estarem divididos...e principalmente em 3 grupos:
- Os que pouco tinham e ficaram sem gado e sem dinheiro.
-Os que roubaram enquanto houve e ainda receberam dinheiro.
-Os que se venderam e venderam o que não tinham.

Por isso :
-Há quem não vá lá a cima porque já não há nada para roubar e o governo já não dá mais dinheiro .
-Há quem vá porque apesar de tudo é sem vergonha e gosta de fazer tudo à sua maneira para demonstrar finalmente que nunca houve união.
-Há quem vá porque apenas quer divertir-se e não perder a posse ...

Anónimo disse...

Os principais culpados da saida do gado da serra foram os proprios pastores.Nunca se organizaram e depois alguns venderam-se para entregar tudo e fazer a vontade ao partido e outros para ficarem calados.

Anónimo disse...

Só de nome...
Os "pastores" agora é que estão bem.. nao se preocupam em andar atrás do gado na serra.. e ainda por cima continuam com as suas "casinhas de campo" para irem para a borga os fins de semana e nem só.. ha alguns que estão a pensar em modificar as tais casinhas para alugar a estrangeiros.. o problema é os carrapatos!

Anónimo disse...

É pena ter acabado com as ovelhas na serra de Santana, podia haver um controle, uma vedação em determinadas zonas e esta actividade até turisticamente era engraçada,não prejudicava as arvoredos,mas falta de dialogo, fez que isto mais tarde desapareça.
É pena que este charamba que é uma canção sentimental deste povo nao esteja gravado em CD e ninguém da cultura queira salvar este património porque ser charambista é ser poeta, porque os versos são feitos na ocasião e a música é bonita sendo controlada quando o cantor canta ela seja piana para que se consiga ouvir as palavras que eles dizem e só assim se consegue ouvir o que estes poetas populares nos querem dizer.
Gostava e podia coloborar se houver quem queira velar por esta tradições que parecem desaparecer no tempo.

ANÓNIMO NÃO COLABORANTE disse...

ATENÇÃO POVO QUE VISITA E LÊ OS BERDADES: EXISTE UMA PESSOA QUE GOSTARIA DE COLABORAR PARA QUE O XARAMBA SEJA PRESERVADO. AINDA BEM QUE APARECE GENTE DESTA! SEU NOME É...ANÓNIMO DO COMENTÁRIO ANTERIOR.
SE FOSSE PASTAR COM SUGESTÕES DESSAS ANÓNIMAS ERA MELHOR, NÃO ACHA SR. COLABORADOR ANÓNIMO?
HAJA CULTURA E CIVISMO DE NÃO SE BRINCAR COM COISAS SÉRIAS.

Apreciador de xaramba disse...

Mais uma obra de arte do BERDADES que Santana tem que agradecer. Independentemente dos pastores, do gado e das barracas, o que é mais importante neste post é que o BERDADES gravou a imagem e som dos XARAMBISTAS e colocou aqui para ser visto e ouvido por quem quiser e em toda a parte do mundo.Xaramba é tipico e cultura de um povo que vem dos antepassados sem qualquer influencia politica e era bom que realmente fosse preservado.
Isto tem valor sim senhor e como tal ao SENHOR DAS BERDADES MUITOS PARABENS.

Anónimo disse...

Também acho que isto é o mais tradicional das canções da Madeira, não é só de Santana e é pena ser assim tão desconhecido do povo em geral...se há tanta gente interessada,apareçam nomeadamente nas Casas do Povo que ser-lhe-ao dadas informações...de certeza não lhe vão fechar portas, mesmo aos anónimos colaborantes. Falar é fácil!

Anónimo disse...

Este povo é k é, dores de cotovelo... é o dinheiro do gado pra aki, as casas d fim d semana pra acolá e dpois o ignorante anónimo k pensa k o "xaramba" é so musica d fundo do programa Atlândida, enfim, é deste povo k eu gosto

Anónimo disse...

Tenham vergonha. É a inveja que tendes por não participar na comemoração do dia do pastor que vos move e inspira para comentários tão brutos? Ou não tendes mais nada para fazer? Então metam-se ao trabalho e nao digam mal de uma tradiçao que doa a quem doer nunca vai acabar. Parabéns ao berdades por tao digno post!

quintino disse...

Faço das palavras do Estave as minhas próprias.
Mais uma vês um muito obrigado ao blogg Berdades, é mais uma vês que vejo com muito gosto as imagens muito bonitas da nossa terra e das nossas tradições registadas pela objectiva da maquina do Sr. Marcelino, mais uma vez as tosquias eram uma festa que costumava ir e uma festa que só pelas pessoas que la estavam e como elas se interagiam com todos, a barraca daqui com a barraca dali, “…agora vamos ali, mas depois temos de ir acolá beber um caneco que já fomos convidados…”já valia ouro, e que adoraria muito ter estado presente.

Mais uma vez um bem-haja ao blogg Berdades

Já fico a espera da reportagem das 48 horas, espero não estar a abusar mas vou lhe pedir que se esmere nessa reportagem hehe, também não vou poder estar presente.