04 junho, 2009

Eleições Europeias... nós pimba!

No próximo domindo vou votar em quem?
Lá o meu dever civico vou fazê-lo e até acho que deveria ser obrigatório para todos os cidadãos com capacidade eleitoral fazê-lo, sob pena de multa. Mas em qual partido ou em quem? Esta a minha dúvida. Dos partidos houve-se sempre a mesma coisa: promessas! Dos candidatos o mesmo: promessas! Sinceramente ainda não sei onde colocar a cruz. Também ainda não sei, nem me preocupei saber, a disposição do boletim de voto nem que partidos concorrem. Na madeira ouve-se falar apenas de 4 a 5 candidatos, mas na TV já vi partidos e movimentos concorrentes que nem sabia que existiam, mas não admira nada, pois o tacho europeu é apetecivel. Mas, duma coisa tenho a certeza: não será por certo os concertos pimba, nem os comicios à porta da igreja que me vão esclarecer o que fazer nestas eleições europeias. Já nas próximas autárquicas talvez resulte melhor. Mas para lá, eu mesmo sem saber quem são os candidatos, já vou formulando ideias e hipóteses de voto e, se vier um concerto pimba, lá estaremos a abanar o capacete porque uma coisa é certa: "E se eles querem à noitinha brincadeira, nós... pimba".*
* substituir:
"à noitinha" por "durante o mandato"
"pimba" por "votamos"

4 comentários:

Anónimo disse...

Plenamente de acordo. Infelizmente, não vou poder votar pois não estarei cá na Madeira. Mas mesmo não sabendo em quem votar, as promessas são sempre as mesmas e dessas promessas poucas ou nenhumas são cumpridas. Por isso, se calhar até votava em branco, o q não deixa de ser um voto e também um protesto.

EgidioMachico disse...

Discordo completamente na parte do deveria ser obrigatório porque Democracia deveria ser sinonimo de liberdade, quer dizer pelo menos sempre julguei que era essa a ideia que me estavam a tentar fazer crer.
Infelizmente votamos para escolher o melhor ou muitas vezes o menos pior de dois males, sim porque normalmente são sempre dois os únicos com possibilidade de ganhar as eleições e muitos de nós não consegue ver as diferênças politicas entre esses dois candidatos.
Por isso votamos com base nas promessas politicas, as quais são completamente esquecidas no dia seguinte ás eleições, alegando razões económicas ou outras sem realmente nos explicarem o porquê, isto porque somos demasiado idiotas para perceber-mos as razões complexas pelas quais essas promessas não podem ser cumpridas. Eles (Sábios) irão fazer aquilo que tem de ser feito.
Quando nós incultos não consegui-mos ver uma razão pela qual deveriamos votar e começamos a perder fé na democracia então acho que a unica maneira será impor o voto obrigatório e não com multas porque eu próprio sei que pagaria a multa e não iria votar, mas sim pela força.
Ai sei que não terei outra hipotese senão exerçer esso meu direito livre de ser obrigado a votar.

EgidioMadeira disse...

No caso das eleições europeias o voto é ainda mais interessante, isto porque temos uns representantes na união europeia, que as pessoas com quem falo nem sabe quem são tal como eu, mas que de anos a anos vejo a sua cara num cartaz e tenho a sensação de já ter visto aquela cara em qualquer lado. Dizem-nos que fizeram muito por todos nós, mas fizeram o quê exactamente?
Uma união europeia que com uma constituição rejeitada pelos cidadãos, mas reembalada e entregue ao domicilio que cada cidadão pelo tratado de Lisboa.
Então eu pergunto porque temos de votar para escolher quem vai para o puleiro, e rejeitam as nossas verdadeiras escolhas como foi o caso de não á constituiçao europeia.
Aquilo que motiva as pessoas para as eleições europeias poderá ser o facto de acharem que irá fazer diferênça quem lá está em relação aos subsidios da união europeia. Mas infelizmente não haverá subsidios destinados há Madeira em particular, ma sim subsidios para muitas coisas assim como como alguns destinados a regiões como a Madeira, aos quais podemos concorrer e nem sempre fazemos.
Mas a grande questão não é quanto há de verbas para a região mas sim como são essas verbas utilizadas.
Para agricultura recebemos muitos subsidios a muitos anos atrás, e eu pergunto quantos projectos foram continuados, ou quantos desses projectos foram feitos por agricultores, já agora quantos não foram abandonados uma semana depois de receber o subsidio.
Nas pescas tambem houve subsidios para mudernização das frotas, na Madeira o subsidio servio para abater o barco e mandar os pescadores para o desemprego.
Poderia continuar mas não vale a pena, em resumo e depois de tantos a receber subsidios, temos mais impostos, mais multas mais control, menos emprego, menos segurança e mais familias sem casa.

João Sousa disse...

Admito que não seja fácil para todos os cidadãos fazer a opção correcta, tendo em conta que a Campanha Eleitoral não incidiu sobre as questões europeias. Os assuntos de política interna foram prevalecentes e até compreendo que assim tenha sido, uma vez que estas eleições poderão determinar o resultado das autárquicas e das legislativas nacionais. Nessa perspectiva, a minha opção de voto fica mais fácil: penalizar quem nos tem governado mal, votando num partido que, à partida, sabemos que nunca nos vai trair e que trabalhará incessantemente na defesa dos interesses dos cidadãos.

João Sousa