02 julho, 2009

Letras, precisam-se na Ponte do Faial!

Existe um ditado popular que diz: "LAVAR A CABEÇA A BURROS É PERDER TEMPO E SABÃO".
E, de facto, assim parece confirmar-se. Mas não desistimos, e tal e qual vimos há 3 anos a esta parte alertando, tornamos a relembrar o que nessas alturas escrevemos sobre o desleixo em colocar todas as letrinhas que deu nome à Ponte 1ª Julho, situada na Freguesia do Faial.
a 1-7-2008 aqui escrevemos:
"...A primeira freguesia do concelho a ficar ligada ao Dia da Autonomia foi a freguesia do Faial, mas que se calhar já não perpétua na memória de muitos, atento o desleixo que tem sido o tão nobre e solene acto de inauguração da Ponte Primeiro de Julho, na altura presidida pelo Sr.Presidente da República, Dr. Mário Soares. Isto a propósito dum post que aqui fizemos referência no dia 13 de Julho de 2006 e que se reproduz na integra a ver se alguém "atrema", uma vez que tudo se mantém na mesma, ou se calhar, com menos letras.
Dizia esse post o seguinte:

"PONTE DA AUTONOMIA.
Bem que poderia chamar-se Ponte da Autonomia, por coincidência do nome com a data da Região Autónoma da Madeira, mas não. Chama-se "Ponte Primeiro de Julho", situada na freguesia do Faial, e foi inaugurada em 1985 por sua Excelência o Presidente da República, na altura, Dr. Mário Soares. A construção desta ponte assinala um marco histórico no concelho de Santana e em especial na freguesia do Faial, pois foi construída para substituir a "Ponte Velha" que um temporal de 1984 se "lembrou" de destruir. Mas, se o nome ficou gravado na memória de muitos, o mesmo já não se passa na lápide lá existente que, há mais de meia dúzia de anos, apenas permanece uma dúzia de letrinhas desorganizadas, conforme documenta a foto captada pelo nosso repórter. Bem que merecia o resto das letras, mais que não fosse por respeito às ruínas da Ponte Velha que ainda lá permanecem e que constituem património municipal edificado. Lembrem-se das letras para que outros se possam lembrar do nome da ponte."

5 comentários:

Bragada de gema disse...

Por acaso concordo em pleno com o que o berdades hoje aqui relembrou pela 3ª vez! Aquilo é a vergonha de quem governa, que mesmo a estes simples pormenores nem lembrando fazem algo!
Admira-me é o Diário de Noticias e a TSF que este fim de semana esteviram na freguesia do Faial a fazer "P'la Madeira Dentro" e não verificarem esta situação, aind apara mais que o DN trouxe um apontamento escrito na edição de hoje sobre esta ponte e o seu nome!

Pégadas disse...

Não podia estar mais de acordo com esta chamada de atenção!
A topomínia dos lugares, sitios e monumentos desta terra anda de facto muito esquecida...não consigo perceber porquê...
Numa terra virada para o turismo, é completamente imcompreensível como se falha tanto nestas questões. Na "pele" de um turista, eu sentir-me-ia completamente perdido por tanto sítio e lugar "sem nome". Acho que era tempo concertar uma acção á escala de toda a Ilha de modo a, de uma vez por todas, colocar os pontos nos "is" na topomínia desta terra! Monumentos, sítios e lugares! ah, e já agora não esquecer que elas também precisam de manutenção! Abraço ao Berdades a quem nada escapa!

João Sousa disse...

Bem observado, Berdades! O sentido de oportunidade é também extraordinário! Este post prova uma vez mais que este espaço de comunicação é muito mais do que um blogue. Daí os meus parabéns ao meu caro amigo Marcelino!
Por que será que há esta tendência para roubar letras de placas públicas de idênticação de locais e edifícios? No prédio onde vivo - um edifício com cerca de cinco anos - não sobrou uma única letra... Há quem diga que na Venezuela acontece o mesmo, mas por razões económicas. Será o caso ou estaremos apenas perante uma simples brincadeira de mau gosto?
Independentemente das razões que levam ao desaparecimento das letras, não há desculpa para a não reposição das mesmas por parte das entidades competentes, ainda por cima depois dos alertas efectuados neste espaço.
Por fim, o Faial precisa de letras na Ponte 1 de Julho, mas precisa de muito mais, como se tem debatido nos últimos dias, graças ao Diário e à TSF, nomeadamente empregos e mais investimento público e privado.

Ceregi disse...

Será que as letras chegarão quando vier a música?
Tal como os comentadores anteriores, também julgo ser uma situação que já deveria ter sido resolvida.
Vamos a ver se "à terceira é de vez"!...

silvia_vdfr disse...

"Mesmo toque... mesma musica !" Ha coisas assim que não mudam... Se normalemente "à terceira é de vez", penso sinceramente que vão ser precisas mais do que 3 vezes para mudar uma tendência geral da nossa terra...
Assinalização Madeirense :
- placa publica + letras : raro, muito raro mesmo !! Encontrar uma placa assim é como encontrar um fossil de dinosauro !
- placa publica sem letras : ja nem assusta !!... é normal !
- Ausência de placa publica (e claro zero letras lol) : é como o bailinho da Madeira, ja é tipico !!