11 abril, 2010

1 comunciado, 2 versões. PSP vs Compadre Jodé.

O "comunicado" que se segue é meramente ficção e qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência. Foi por nós elaborado no intuito de estabelecer a relação entre um comunicado  técnico/policial e o outro tecnico/rural para relatarem a mesma coisa.
 PSP
No âmbito da prevenção Rodoviária e Criminal a Divisão Policial do Funchal do Comando Regional da Policia de Segurança Pública levou a efeito uma Operação especial designada “PELO TÚNEL ADENTRO”, no intuito de sinalizar a existência de armas ilegais ou em situação irregular pelo que desencadeou  várias buscas em diversos locais previamente sinalizados e, ainda também, no intuito de sinalizar situações de trafico e consumo de substâncias estupefacientes proibidas por lei, bem como outras actividades ilícitas.
Foram efectuadas diversas diligências de vária ordem, entre as quais, como já foi recentemente divulgado, foram montados postos de controle de viaturas que circulavam no perímetro da operação, as quais foram objecto de inspecção e buscas por parte dos elementos policiais, bem como todos os seus condutores foram fiscalizados e identificados e ainda sujeitos ao exame para despiste de alcoolemia no sangue ou outras substâncias estupefacientes.
No rescaldo da operação a Policia de Segurança Pública sinalizou Condutas desviantes de indivíduos do sexo masculino, os quais revelaram comportamentos ilícitos susceptíveis de integrarem ilícitos criminais, pelo que foram detidos e apreendidas várias armas de fogo de vários calibres, e outros objectos que se veio a sinalizar como tendo sido furtados a semana passada em diversos estabelecimentos comerciais, os quais já foram entregues aos seus legítimos proprietários.
Os detidos foram presentes na manhã do dia seguinte no Tribunal Judicial da Comarca competente. Apresentados ao Magistrado do Ministério Público competente para seguir os trâmites legais previstos nas lei que depois submeteu o expediente e consequente apresentação dos detidos ao Mmº. Juiz de Instrução Criminal para 1º interrogatório judicial de arguido detido. No final, ordenou que o processo baixasse para inquérito, tendo ordenado que os arguidos aguardassem os ulteriores termos processuais em liberdade mediante as seguintes medidas de coação: Termo de Identidade e Residência, o que significa que estes arguidos não poderão ausentar-se da sua residência sem que seja comunicado a nova morada à autoridade judicial e ainda apresentações periódicas, semanais, na esquadra da autoridade policial da sua área de residência. 
 Compadre Jodé
A p’lúcia da Madeira fez um-ã ópração de stóp dentro dui furados na via rápida e mandou parar todas as abelhas que passavam. Mandou abrir a capota e o sport bagage pa vigiar s’avia droga e espingardas sem licença. Conseguiu apanhar uns bandidos do caraças com bastantas pistolas e mercancia roibada dei vendas Tamém mandou assuprar do balão pa ver se vinham emborrachados de vinho e poncha e caçou alguns c’aquela droga de pastilhas e outros com erva seca.
No outro dia, pegou nui gaijos e levou eles dentro do d'jipe pa tabernal e o Juiz mandou eles pá porta pa tirarem o bilhete d’identidade da residência e, de vez enquando, aparecer na p’lúcia p’asseentar o nome, imentes n'arrespondem.

12 comentários:

Ceregi disse...

Para quê tanto vocabulário? Jodé com um terço das palavras consegue mais facilmente clarificar o que se passou!
Viva a simplicidade! ;D

Donato Macedo disse...

Delirante...Excelente. Boa Compadre!

Bonsai disse...

Mais claro do que o Compadre Jodé é impossível. Curto e grosso. LOL.

Equipa de BTT disse...

Realmente .... para quê escrever tanto, para se dizer tão pouco, grande compadre assim é que é!

MJV disse...

Ai que saudades deste Compadre!
Olha, ele é que deveria ser o chefe da policia!

Nivalda Candelária disse...

Para bom entendedor, meia palavra basta.....! Simplicidade acima de tudo!!! Hehehe... Abraço!!!!

Carlos Candal disse...

Confesso que de facto chateia-me ouvir a GNR falar das operações, pois metade daqueles termos são dispensáveis, mas também confesso que se o comunicado aqui escrito do "compadre jodé" estivesse sozinho sem o da PSP a antecede-lo, eu nunca saberia o que significava, pela simples razão de não perceber metade da escrita que acredito esteja redigida tal qual se fala em sotaque puro bna terra do Tio Alberto.
No entanto deve ter muito piada para quem percebe.
Gostei muito deste espaço
Um abraço para todos os madeirenses.

Catarina Reis disse...

Quem fala mt da "obra" feita é porque procura camuflar, a não feita. Obrigada pela visita, volta sempre.
Bjs Catarina

mjf disse...

Olá!
Muitas palavras para quê????
Talvez disfarçar a ineficacia!!!

Beijocas

ps- obrigada pela visita

silvia_vdfr disse...

Isto é ser "rapido e eficaz" !! lol O Compadre Jodé com poucas palavras diz muito ! A versão "rapida" ficou excelente.

Yoseph disse...

....o madeirês no seu melhor....lol! A falar é q' "agente" s'intende. Mais óbvio pra kê?!
Abraço.

Antoino disse...

Tá memo un cumunicado à compadre Jodé