02 setembro, 2006

Sem calças não paga!

Mulher que usar calças será multada em dois cabritos
As regras de indumentária dominam as preocupações mundiais...
O rei Bingo Bingo, máxima autoridade tradicional da região do Cuito Cuanavale, no leste de Angola, proibiu as mulheres de usarem calças, sob pena de pagarem uma multa de dois cabritos ou 10 mil cuanzas (cerca de 100 euros).
A decisão, que consta de um decreto aprovado pelo soberano onde se estabelecem novas regras de conduta que devem ser seguidas pelos súbditos, determina a proibição de uso pelas mulheres de qualquer peça de vestuário «destinada ao homem».
«Qualquer soba (autoridade tradicional local) que encontrar uma mulher a usar calças ou outro vestuário destinado aos cidadãos do sexo masculino deve multá-la em dois cabritos ou 10 mil cuanzas», refere o decreto real, divulgado em Luanda pela Rádio Ecclesia, emissora católica.

Assim relata hoje o DN. Estranho mas verdade, ao que o Berdades aconselha às mulheres que, na eventualidade e possibilidade de serem multadas, que tirem logo as calças antes da chegada de qualquer soba.

3 comentários:

Silvia disse...

Só mesmo num pais de 3º mundo que isto ainda é possivel.
Graças a Deus que no nosso, com muitos defeitos que tem, isso já foi ultrapassado.

Jorge V. disse...

o Dr. AJJ também deveria fazer um decreto regional, mas para vigoarar ao contrário: obrigar muitas mulheres vestitem calças.

Anónimo disse...

Esta notícia do DN -Madeira é uma simples nulidade, o assunto advém de uma muito diferente realidade cultural, que tem unicamente de notícia o facto de haver uma penalização. Interessante é que raramente vemos notícias sobre Angola, só se for na secção Economia, onde tudo parece ir às mil maravilhas para os investidores. Mas Angola é uma realidade que os portugueses (principais responsáveis do ponto de vista histórico) conhecem mas escusam falar dela, onde abundam rios de dinheiro, mas onde a simples liberdade de opinião/expressão não existe. Onde uma ditadura governa hà muitos anos, e vive à grande e à francesa (quem não se lembra das famosas gorjetas da Madame Dos Santos num hotel brasileiro há uns anos atrás?!), mas onde as pessoas vêem morrendo de doenças que uma simples melhoria das condições de higiene e do abastecimento de água reduziria drasticamente. E isto na capital Luanda! Angola é tudo isso, uma pobreza extrema que contrasta com uma riqueza petrolífera e diamantífera...coitados dos angolanos, se o seu único mal fosse somente o facto de as mulheres terem de pagar uma multa por usarem calças nos domínios de um qualquer soba pouco dado a modernices!!! Por curiosidade vejam esta entrevista a Rafael Marques, jornalista angolano conhecido pela sua luta contra os verdadeiros problemas do povo angolano http://dn.sapo.pt/2006/07/19/internacional/ha_regioes_pais_onde_matam_garimpeir.html ou até mesmo este da RTP http://www.rtp.pt/index.php?article=249993&visual=16 estas é que são notícias dignas de uma secção “internacional”, e não a que o DN-Madeira expõe. Quanto ao Berdades, limitou-se a fazer uma piada com a notícia que é a única manifestação que a mesma merece. Quem não merecia um comentário tão grande era o Compadre, mas também não é sempre. Bom regresso ao trabalho para si. Um grande bem haja.