31 janeiro, 2009

O descascar dos vimes em Santana.


Faz parte do passado, tanto as imagens como o"descascar dos vimes". Não sabemos ao certo em que ano nem por quem foram captadas estas fotos, que nos enviaram por mail, mas sabemos o lugar exacto: Pico do Tanoeiro, Santana. Aqui, mesmo à ilharga da nossa "redacção" (precisamente onde hoje é a entrada). Era a "descasca dos vimes" do Sr. Isidro. Mulheres e homens dias inteiros na labuta dos vimes desde a cozedura até à secagem e depois recolhe-los no armazém. Hoje, apesar de permanecer o artesanato dos vimes na Camacha, quase nem existe esta obra prima na freguesia de Santana. Como diz o ditado popular: "Tudo se acaba" e o negócio dos vimes não fugiu à regra. Na memória só mesmo alguns registos fotográficos e, quem sabe, alguns cestos.

Clique nas imagens para ver tamanho grande



3 comentários:

BaBy_BoY_sWiM disse...

quando li de repente... li: "descansar..." e depois voltei a olhar e vi: "descascar"

Podia ter sido uma "modalidade" que havia nos vimes... descansar... eheh

antonio martins disse...

lindos tempos eram estes,,,,as mulheres ganhavam pouco neste trabalho,mas estavam todo o dia no mesmo sitio,,,belhardavam e verdade,mas nao havia tempo de ir ao cafe,,pois o horario era enquanto havia luz do dia,,e recebiam so quando ja tava tudo(descascado) os vimes,,,,ricas recordacoes !!!!!

LDV disse...

Bom post sr Berdades

Ainda estou para ver agora com a abertura da Casa Da Cultura de Santana, que valorização se vai dar ao Património, à Cultura e às tradições genuínas do concelho! Tudo se irá esclarecer quando for nomeada a direcção, aí já se verá “o que a casa gasta”.
Ou vamos continuar a correr o risco de ter um vereador (aconteceu aqui a uns anos, 2 ou 3) a ir à RTP-Madeira a um programa em que se questionava sobre a Festa Dos Compadres e suas origens e ele disse:
- É uma tradição antiga, mas talvez estas senhoras (umas idosas que o acompanharam) que são mais velhas podem explicar melhor. (LOL, o fulano era vereador da Cultura e nunca se interrogou sobre as origens de um dos maiores cartazes culturais do concelho!!!)
A cultura e toda a sua dinâmica, envolve trabalho, pesquisa, curiosidade, e amor á camisola. Não é só mais um tacho, é uma responsabilidade, de preservar o nosso passado e sobretudo saber divulgá-lo.
No seu caso, faz isso bem aqui. Para nós os vimes, eram o quotidiano nas férias, para uns com menos dez anos parece-lhes algo muito longínquo e arcaico até.
Vamos esperar então para ver e aproveitar estas delícias.
Obrigado e bom trabalho.