24 fevereiro, 2010

Berdade d'imprensa!

Reportagens em directo da Madeira.
São umas a seguir às outras. Então na abertura dos jornais nacionais, logo pelas 20 horas, nem se fala! Nem temos por onde escolher e, de minuto a minuto, andamos a saltitar entre a RTP1, SIC e TVI.
A tragédia da Madeira é noticia de abertura dos noticiários, desde Sábado.
E até que se remova todo o entulho dos parques de estacionamento dos centros comerciais, por cá andará toda a imprensa nacional.
No rádio, a Antena 1 Madeira, é a estação mais sintonizada e durante todo o dia está ligada em casa, no carro, no trabalho.
Todos querem saber as novidades da tragédia! Os madeirenses não estavam habituados a tamanha cobertura jornalística e, tal qual esta tragédia, é também inédito nos nossos costumes.
Parecendo que não, isto também nos afecta e transforma.
Daqui por uns tempos, quando tudo voltar à (quase) normalidade, acabar-se-ão os directos nas reportagens e noticias da Madeira! Será por ventura, um bom sinal. Sinal de que, depois da tempestade veio a bonança e, com ela, não existem noticias, nem necessidade de directos da Madeira. Pelos vistos, será bom sinal.
Mas porque não agendar, com todos os jornalistas ainda cá presentes, um encontro nesta ilha, com direito a directos nos noticiários nacionais, durante a Festa da Flor?
Até seria, também, como em gesto de solidariedade de toda a imprensa nacional, e regional,  para com as vitimas de toda esta tragédia.
Também era noticia e os madeirenses agradeciam de certeza.

3 comentários:

amsf disse...

Para o cidadão mais bem informado este fenómeno devia ser evidente. Não é evidente que quando uma equipa de jornalistas é enviada com grandes custos monetários depois tem que fazer render o peixe?! Seja no Iraque, no Katrina, no Afeganistão, no Haiti e agora na Madeira. Se o fazem é porque têm "mercado" entre os seus espectadores! O sinal de que estão prestes a partir é quando começam a se entrevistarem uns aos outros ou a mostrar imagens de todo o aparato "comunicacional" envolvida na cobertura do "evento"!

Fernando Augusto Fernandes Marques disse...

" O dilúvio na Região Autónoma da Madeira"

O que tenho assistido nestes últimos dias é deveras confrangedor e demonstra "uma pobreza humana" por demais evidente!
Seres humanos ditos "jornalistas" a fazerem reportagens sobre o estado calamitoso dos acontecimentos trágicos que ocorreram no passado sábado, dia 20 de Fevereiro de 2010.
As notícias devem ser dadas e transmitidas à opinião pública sempre com um sentido de responsabilidade e de ética. Qual a razão que leva esses senhores, permanentemente, a estarem ávidos em saber quantos mortos já foram encontrados e quantos feridos existem?!
Em prol da informação não se aproveitem da dor e da consternação das pessoas que perderam os seus entes queridos. Este momento é de dor e de pesar para todo o Povo Madeirense. Respeite-se a memória dos que partiram e reconforte-se os seus familiares. Saibamos todos, sem excepção, sermos solidários e termos um elevado comportamento ético e moral!
A seu tempo ( e tudo na vida tem o seu tempo ) saber-se-á realmente qual foi a verdadeira dimensão de feridos e de perdas humanas. Haja respeito!!!
O Cidadão
Fernando Augusto Fernandes Marques

silvia_vdfr disse...

A Madeira é o centro do mundo com esta tragédia... os jornais nacionais, e internacionais, ja falam "madeirense".
Realmente seria uma grande "ajuda" se a Madeira podesse ter a mesma cobertura ao nivel da imprensa durante a Festa da Flor... agora é so esperar para vêr !